header image

A acidificação dos oceanos

atwa agua A acidificação dos oceanos

A poluição causada pelos seres humanos está transformando o mar em ácido tão rapidamente que as próximas décadas irão recriar condições nunca antes vistas na Terra. Cientistas alertaram que, desde que se consegue analisar tais dados, não há amostras de que a condição da água dos oceanos esteve tão ruim.

Essa rápida acidificação é causada pelas enormes quantidades de dióxido de carbono expelido pelas chaminés das indústrias e pelos escapamentos dos carros, que então se dissolvem nos oceanos. A alteração química está a colocar “pressão” sem precedentes na vida marinha, e pode provocar uma extinção em massa.

Um recente estudo, realizado por cientistas da Universidade de Bristol, procurou entender a complexidade da acidificação dos mares. Em um resumo das suas conclusões, os cientistas ingleses afirmam que “perigosos níveis de acidificação dos oceanos terão consequências graves para os organismos marinhos”. “Encontramos que a taxa de acidificação da superfície dos oceanos é muito provavelmente sem precedentes nos últimos 65 milhões de anos”. Os cientistas acrescentaram que “a situação no fundo do mar é de preocupação ainda maior”.

Os cientistas compararam a taxa de acidificação atual com uma versão pré-histórica de gases de efeito estufa, que os geólogos confirmam ter causado uma extinção generalizada das espécies de águas profundas. O resumo do estudo diz: “Porque as taxas de acidificação entre o passado e o futuro são comparáveis, e [porque] houve uma extinção generalizada de organismos vivos no passado, devemos concluir que um nível semelhante de extinção é mais provável no futuro”.

A preocupação com a acidificação dos oceanos em função da poluição de carbono causada pelo dia a dia dos seres humanos tem crescido nos últimos anos, mas a questão recebe muito menos atenção do que o aquecimento global – também causado pelas emissões humanas de carbono. O estudo dos cientistas de Bristol é um dos primeiros a prever as conseqüências de águas ácidas ao olhar para os acontecimentos passados.

Ken Caldeira, um especialista na acidificação do oceano do Instituto Carnegie, na Califórnia, afirmou que as próximas décadas poderiam produzir “mudanças profundas” nos oceanos. Segundo ele: “A escolha de continuar emitindo dióxido de carbono implica que isso será um agente de mudança biológica de uma força superada apenas pela magnitude dos grandes eventos de extinção em massa. Se não cortarmos as emissões de dióxido de carbono profundamente e logo, as conseqüências da acidificação dos oceanos vão se concretizar como um exemplo único nos estudos do tempo geológico. Essas consequências serão incorporadas no registro geológico como testemunho de uma civilização que teve a sabedoria para desenvolver tecnologias de ponta, mas que não foi capaz de desenvolver a sabedoria para usá-las sabiamente”.

Uma reunião dos cientistas essa semana vai publicar uma atualização para o relatório de 2007 do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Uma série de estudos publicados desde o relatório do IPCC foram preparados, e mostram que as emissões de carbono estão crescendo mais rapidamente do que o esperado e que as metas de gases com efeito de estufa existentes podem não ser suficientes para evitar o catastrófico aumento da temperatura.

Para ler a matéria original, clique aqui

logo final

© 2009 ATWA Brasil

~ por ATWA Brasil em 22/10/2009.

Deixar uma Resposta